27 de abr de 2013

Em quem acreditar? Na Veja ou na Liderança do PT e na TV Câmara ao vivo?


Saiu uma nota na revista Veja, coluna Holofote, mais uma intriga para desgastar o PT. Foi reproduzida no portal Brasil247, mas sem avisar que era da revista Veja.


Só que a nota plantada, tem mentiras gritantes. Basta olhar as datas destes acontecimentos e a deturpação das declarações: 




No dia 22 houve reunião na Fundação Perseu Abramo (de estudos e formação política do PT), confirmada pela agenda oficial do ministro e por um dirigente do PT, Valter Pomar. 


É razoável pensar que tenha havido debate e divergências sobre a visão do governo Dilma e do PT sobre o momento e de apresentar uma Lei dos Meios e a sua abrangência. Mas é impensável que ninguém do PT tenha falado nada sobre essa reunião na mídia alternativa, e só 5 dias depois, logo a revista Veja virar porta-voz de "petistas".


Para piorar a mentira, no dia 24 de abril, o ministro esteve na Câmara dos Deputados para uma audiência pública que durou horas. Participaram deputados de todos os partidos e fizeram todas as perguntas, inclusive sobre os boatos e intrigas espalhados por aí. Parlamentares ligados à democratização das Comunicações, como Luiza Erundina (PSB-SP) foi uma das questionou o ministro. Ele esclareceu na frente de todos (foi transmitido pela TV Câmara, pelo menos na Internet). 


Na rádio Câmara tem em arquivo os áudios da sessão neste link:


A liderança do PT na Câmara fez uma matéria cobrindo o fato, onde diz "Paulo Bernardo manifesta apoio à regulação da mídia e neutralidade na internet". O contrário do que a revista Veja publicou 3 dias DEPOIS.
E a Veja publicou as seguintes mentiras deslavadas, que todo ativista da democratização das comunicações sabe:

1) A reunião na Fundaçao Perseu Abramo não foi para "controlar a impensa". Foi pela democratização das comunicações. Quem "controla a imprensa" hoje são os donos dos oligopólios midiáticos, os barões da mídia;


2) Franklin Martins nunca propôs cercear os meios de comunicação. Ele sempre propôs diversificar, ampliar o número de vozes, sem silenciar nenhuma. Aliás, conceitualmente, nunca houve grande diferença do que pensa Paulo Bernardo e Franklin Martins, divergindo apenas em pequenas questões pontuais (como o propriedade cruzada ser superada pela decadência dos jornais e pela ascensão da internet) e no momento para apresentar um projeto destes, já que não há a menor possibilidade de aprovação de um projeto que seja de fato progressista na atual composição do Congresso.


O resto da nota da Veja não passa de deturpações, porque a revista quer jogar a isca para a militância petista que clama pela Lei dos Meios pautar blogs contra o governo Dilma e contra mais um ministro do PT. Não é a primeira vez que o PIG faz isso.


Portanto, entre a Veja e liderança do PT na Câmara, eu não tenho dúvidas em quem acreditar (até porque os áudios da audiência comprovam). 

NOVA VIA


Nenhum comentário: