15 de ago de 2013

Educação vai voltar a ser educação em SP



O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. foi o melhor ministro de Educação que o país teve nas últimas décadas.




Sob sua gestão o ensino superior, de alçada da União, foi finalmente democratizado, instituiu-se uma avaliação para valer dos alunos e investiu-se na construção de universidades federais, entre outras providências importantes que tomou.

A massificação do Enem revolucionou a área, mas foi duramente combatida por quem pretende fazer da educação apenas um negócio - um ótimo negócio.
Agora, no comando da prefeitura paulistana, Haddad anuncia mudanças profundas no ensino de base, com o lançamento do programa Mais Educação São Paulo, que, entre uma série de modificações no modelo atual, cria três ciclos no ensino fundamental, acabando com a aprovação automática.

"O objetivo não é aumentar a repetência, porque sabemos que a indústria da repetência é tão perversa quanto a da aprovação automática. Mas é o sentido de o professor e os próprios estudante organizarem a passagem de nove anos de maneira que se tenha clareza do que se quer em cada etapa do processo. No fim do terceiro ano, a alfabetização plena", disse Haddad.

Além de obrigar o aluno a fazer provas bimestrais, o novo modelo terá boletins com notas de zero a dez, relatórios de acompanhamento e lição de casa regularmente. Além do aumento da exigência na avaliação, o programa pretende fazer com que cresça o apoio ao aluno, com a criação da recuperação intensiva nas férias e período letivo, além da criar dependências nos 7º e 8º anos, caso o aluno não evolua em determinada disciplina.

"Está se resgatando alguns marcos para dar referências ao professor e para o estudante daquilo que precisa ser compreendido e assimilado até aquele momento. Essas referências são muito importantes. O professor precisa delas e o estudante precisa delas. Os dois ciclos com a aprovação automática acabaram gerando uma perda de referência. Então, os direitos de aprendizado, as referências curriculares, elas foram se dissipando ao longo dos nove anos e isso contribuiu para uma melhoria da qualidade muito aquém do que o município havia se comprometido em 2007 com o Ministério da Educação", disse o prefeito.

O programa ficará à disposição da população para consulta pública no hotsite criado para ele até dia 15 de setembro: os interessados poderão sugerir modificações, fazer críticas ou outro tipo qualquer de comentários.

É incrível, mas em sete meses de governo, Haddad fez mais na área da educação do que seus antecessores com todo o tempo que tiveram.

O que prova que ser um bom chefe do Executivo não é tão difícil quanto se imagina: com boa vontade, meio caminho já está andado.

A Nova Via - @riltonsp
Crônicas do Motta

Nenhum comentário: