27 de ago de 2013

O conto do vigário da prévia do PSDB



Por José Dirceu
Ninguém acredita nela. Nem os pré-candidatos do PSDB ao Palácio do Planalto em 2014. Até porque já esta decidido pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o único que toma decisão no tucanato: o senador Aécio Neves (PSDB-MG) é o candidato e ponto final. Não adianta o outro presidenciável tucano, José Serra, espernear.




Inclusive porque José Serra está cada vez mais isolado. E pelo visto não tem a candidatura garantida nem no PPS, um dos partidos para o qual ele estuda se mudar se não conseguir sair candidato no PSDB. Seu braço-direito no tucanato, o governador que o sucedeu em São Paulo, Alberto Goldman, contribuiu ainda mais para a descrença na prévia tucana ao afirmar que ela tem de se realizar em março do próximo ano.

Alguém, em sã consciência, imagina que José Serra ficará no PSDB até março do próximo ano quando, se perder a prévia, não terá mais condições legais de se filiar a outro partido e concorrer à Presidência da República? Serra decidirá essa troca dentro de pouco mais de um mês, até 5 de outubro, data-limite para quem é candidato a qualquer cargo na eleição de 2014 filiar-se a partido pelo qual vai concorrer.

Cúpulas estaduais do PSDB não querem a consulta

Além disso, levantamento feito pela Folha de S.Paulo durante a semana que passou - reportagem publicada ontem - ouviu 23 dos 27 presidentes de diretórios estaduais tucanos. 22 foram contra prévias e só um, o deputado Duarte Nogueira (PSDB-SP) as defendeu. E apenas formalmente, sem nenhuma paixão. O levantamento do jornal mostra que a entrada de Serra na disputa presidencial no PSDB não sensibilizou os dirigentes estaduais e que eles temem que o partido rache ainda mais com a consulta.

No fim de semana o senador Aécio anunciou que não vai deixar a presidência nacional do partido caso o PSDB se defina mesmo pela realização de prévias para escolher o candidato à Presidência. Na 4ª feira pp. Serra disse aos jornalistas que pretende participar de prévias, desde que todos os pré-candidatos conheçam as regras e disputem em igualdade de condições.

Lançado por FHC no final do ano passado, Aécio é o nome com maior apoio na cúpula da sigla para disputar o Planalto, mas Serra passou a exigir prévias e que elas se façam sem Aécio no comando do partido. "Fui eleito. Não costumo renunciar aos cargos que ocupo", disse Aécio, em viagem a Barretos, numa alfinetada a Serra que não concluiu nenhum mandato para o qual foi eleito.

A estranha paixão de Serra por prévias agora

A viagem de Aécio ao interior paulista no final de semana foi a primeira do giro que o senador fará pelo Brasil para consolidar já seu nome como candidato ao Planalto. Prefeitos tucanos, deputados estaduais e federais e integrantes do governo Alckmin acompanharam o mineiro. Mas o próprio Alckmin não foi para não "melindrar" Serra.

Em 2009, sem nunca responder se aceitava ou não, Serra inviabilizou proposta de prévias feita por Aécio para escolher o candidato a presidente tucano em 2010. No ano passado o PSDB tinha meia dúzia de pré-candidatos à prefeitura de São Paulo. Decidiu fazer a escolha através de prévias e só José Serra, citado como concorrente, não confirmava se concorreria.

Quando estava quase chegando o dia da consulta ele anunciou que disputaria e exigiu a mudança da data e do colégio eleitoral das prévias. Venceu com 51% dos votos, rachou o partido, saiu candidato e perdeu para o prefeito Fernando Haddad (PT).

A Nova Via - @riltonsp

Nenhum comentário: